Publicidade

quinta-feira, 19 de março de 2015 NBA | 14:23

Não é só com a bola nas mãos que o Warriors dá espetáculo

Compartilhe: Twitter

Não tem jeito. A movimentação intensa, os tiros certeiros de longe dos Spalsh Brothers e companhia, a habilidade de Stephen Curry e a velocidade de uma maneira geral fazem com que o sistema ofensivo domine a atenção de quem assiste ao Golden State Warriors em ação. Mas não dá para não destacar o papel da defesa no sucesso do time de melhor campanha da atual temporada da NBA, por mais que um primeiro olhar possa não transmitir isso.

A equipe comandada brilhantemente por Steve Kerr sofre 99,5 pontos por jogo, marca que ocupa apenas o 14º lugar na lista das mais baixas até agora. Só que a coisa muda de figura quando a eficiência defensiva é medida. O índice de 97,6 pontos cedidos a cada 100 posses de bola coloca o Warriors com alguma folga no topo do ranking desta estatística.

Stephen Curry rouba as atenções, mas não é a única razão do sucesso do Warriors

Stephen Curry rouba as atenções, mas não é a única razão do sucesso do Warriors

É um dado esclarecedor, que faz justiça ao trabalho feito na marcação. O sujeito que acerta quatro arremessos em dez tentativas (40% de rendimento) não é mais competente do que aquele que converte três em seis (50%), não é verdade? Ele apenas arrisca mais. O raciocínio serve também para a defesa do Warriors, que sofre tantos pontos porque tem um ritmo de jogo rápido demais. São 98,5 posses por embate, número superior ao de que qualquer outro time. E quanto mais ataques uma partida tiver, a tendência é que mais cestas aconteçam.

Não é só a eficiência defensiva que ajuda a mostrar o quanto o líder geral da NBA é agressivo e bem-sucedido ao encarar ataques adversários. O Warriors é quem mais dificulta os arremessos dos oponentes, limitando-os a 42,5% de aproveitamento. Além disso, dá 6,2 tocos por partida e produz 19,1% dos seus pontos em contra-ataques, melhores números da liga.

Isso tudo mostra o quanto Kerr acertou na mosca ao definir o papel de cada peça do elenco que tem em mãos. Draymond Green, por exemplo, virou titular da posição quatro porque David Lee estava machucado no início do campeonato e acabou mostrando que não tem como não ser o dono da vaga. Trata-se de um defensor completo, ou algo perto disso. É versátil o suficiente para acompanhar as trocas de marcação longe da cesta nas jogadas de “pick and roll”, capaz de dificultar a infiltração dos jogadores menores, e que ainda protege muito bem a cesta, apesar da baixa estatura para um homem de garrafão.

Steve Kerr deve reagir assim quando alguém diz que o Warriors não defende

Steve Kerr deve reagir assim quando alguém diz que o Warriors não defende

Harrison Barnes e Klay Thompson são bons marcadores já há algum tempo e complementam esse sistema eficiente de pressão no perímetro junto de Curry, que evoluiu bastante nesse sentido ao longo dos últimos meses. Dentro do garrafão, o pivô Andrew Bogut mostra-se um ótimo defensor do aro. Aliás, é interessante notar o impacto que o australiano tem na boa campanha do Warriors. O time somou 45 vitórias e sete derrotas com ele em quadra. Sem, ganhou nove vezes e perdeu seis.

O alto padrão é praticamente mantido quando os reservas entram em ação. Muito disso se deve ao fato de a segunda unidade ser liderada pelo ala Andre Iguodala e pelo armador Shaun Livingston, extremamente capazes de fazer o trabalho com a mesma competência. Essa formação ainda tem Marreese Speights como pivô e Barnes na posição quatro, o que permite um padrão de jogo semelhante ao dos titulares — uma abordagem ainda mais profunda disso pode ser encontrada aqui.

É assim que o Warriors se transformou, passando de boa equipe a bicho papão na forte Conferência Oeste e forte candidato ao título deste ano. O sistema ofensivo impressiona mesmo, capaz de encantar e dar espetáculo a quem vê. Mas essa mudança de patamar não teria acontecido sem uma defesa tão poderosa.

Autor: Tags: , , , , ,

3 comentários | Comentar

  1. 53 João Mickael 20/03/2015 12:03

    Um fato a se levar em conta é que com 99,99% o cruzamento dos playoffs vai ser com o Oklahoma com Kevin Durant de volta e com um time para lá de reforçado e com Russel Westbrook voando, essa vai ser a prova de fogo, se passar pelo OKC aí sim será um candidato ao título.

    Att

    Responder
    • Luis Araújo 20/03/2015 13:37

      É verdade. O Thunder ainda vai ter a volta do Sege Ibaka, provavelmente. E com Enes Kanter lá, finalmente um pivô que produz pontos ali perto da cesta.
      Ainda assim, imagino que quem será realmente testado será o Thunder, mais do que o Warriors. Será um time que praticamente não jogou junto nesta temporada contra um outro que está voando. Claro que qualquer resultado pode acontecer, não dá para achar um absurdo uma classificação de Westbrook, Durant e companhia. Mas o Warriors é bem favorito neste confronto. Acho que prova de fogo mesmo para essa equipe aconteceria mais pela frente.
      Abs.

      Responder
  2. 52 Marcos 19/03/2015 18:27

    É um time bem completo, o banco deles é um dos mais equilibrados, Iguodala, Leandrinho, Livingston, Speights, isso sem falar nos titulares, é mt gente boa, um técnico que qnd jogava foi extremamente vencedor, tem uma das torcidas mais vibrantes da NBA, um elenco que apesar das eliminações precoces ja tem uma boa bagagem em playoffs. Olha … é um timaço, acho que as maiores ameaças para o GSW são Spurs e Grizzlies, pelo estilo de jogo que acho que não encaixa mt com o estilo do GSW, mas msm assim o GSW entra como favorito contra qlq um.

    Responder
    • Luis Araújo 19/03/2015 18:43

      Concordo bastante com o que disse, Marcos. Claro que ameaças existem, e imagino que esses times que você citou são as maiores mesmo. Mas tá tudo muito redondo. Se o elenco se mantiver saudável, fica difícil imaginar uma derrota em uma série de playoff.
      Abs.

      Responder
  3. 51 Felipe Gomes 19/03/2015 16:12

    Belíssima análise!
    Chegada de Steve Kerr teve um impacto impressionante nesse estusiasmante GSW!
    Tomara que consigam manter o bom rendimento nos playoffs, para acabar com as desconfianças sobre a equipe, e também, sobre Steph Curry!
    Parabéns pelos textos!

    Responder
    • Luis Araújo 19/03/2015 16:38

      Valeu, Felipe. E vamos ver mesmo o que acontece. Acho que tem gente torcendo o nariz mais do que deveria diante do que esses caras têm apresentado.
      Abs.

      Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios